Buscar
  • Pedro Costa Engenharia

CUSTOS DO PROJETO HIDROSSANITÁRIO EM OBRAS

No caso de obras unifamiliares (casas ou sobrados), a maioria das prefeituras do Brasil não exige projetos detalhados para emissão do alvará de construção. Isso faz sentido, visto que seria muito difícil, pra não dizer impossível, a fiscalização pública nesse caso.

Porém, isso traz um problema grave a estas obras e seus proprietários. O fato de não serem exigidos projetos hidrossanitários (e outros complementares) faz com que muitos construtores, engenheiros, arquitetos e/ou os proprietários destas obras irresponsavelmente as executem apenas com um projeto arquitetônico básico, pois têm a sensação de estarem “economizando” dinheiro e que o empreiteiro consegue resolver tudo sozinho em suas obras, o que é um grande erro.

Um projeto hidrossanitário completo, contem detalhamentos das instalações, suas posições nas paredes, dimensionamento visando a melhor relação custo vs. benefício, lista de materiais a serem utilizados e principalmente a ART (Atestado de responsabilidade técnica), que é o documento que atesta formalmente a responsabilidade do engenheiro autor do projeto.

Na prática, se considerarmos os custos médios diretos no Estado de SP, podemos dizer que uma obra de uma residência com 200m² de padrão médio seria cerca de R$300.000. O custo estimado com as instalações hidrossanitárias é cerca de 5% do valor da obra, ou seja, R$15.000 (sem aquecimento). O custo apenas do projeto hidrossanitário completo, fica próximo dos R$2.000.

Uma equipe de 5 pessoas custa cerca de R$450 por dia, uma caixa d’água custa cerca de R$600, um sistema de aquecimento solar cerca de R$6.000, um sistema de aproveitamento de águas de chuva, cerca de R$4.000 ou seja, o custo de se contratar um projeto de R$2.000 se torna irrisório próximo aos custos dos riscos que se assume ao não contratá-lo.

Segundo o site https://maisengenharia.altoqi.com.br, a economia gerada pela elaboração dos projetos hidrossanitários detalhados chega a 25% do valor das instalações. Seguindo o exemplo acima, falamos em cerca de R$3.000, considerando perda de materiais e retrabalhos (mão de obra). Só isso já seria o suficiente para justificar a contratação dos projetos.

Além disso, em obras sem projeto hidrossanitário costumam ter

Falta de compatibilização do projeto da rede de esgotos do pavimento superior com o projeto estrutural geram situações inadequadas que podem trazer não só custos adicionais de execução como de manutenção após a entrega

problemas com pressão nas torneiras ou aquele conhecido inconveniente de se “queimar” no chuveiro quando alguém da uma descarga em algum outro banheiro.

Estes custos se tornam ainda mais significativos quando falamos de obras de maior porte, como edifícios comerciais ou industriais por exemplo.

A frase “o barato saí caro” se encaixa perfeitamente no caso de contratação de projetos. Pense bem no nível de qualidade e risco de estourar orçamentos você gostaria de assumir nas suas obras.

A necessidade de intervenção na estrutura já construída por indefinição do projeto hidrossanitário traz perda de prazos, aumento dos custos de construção e queda na qualidade das construções (maior manutenção)

1 visualização
Design sem nome (8).png
​(+55) (12) 99119-4740 
pedro@pcostaeng.com.br
 

Pedro de Freitas Costa e Cia Ltda

R. Mal. Artur da Costa e Silva, 1736, sala 2 

Vila Jaboticabeira, Taubaté - SP, 12030-810

  • Facebook Social Icon
  • LinkedIn Social Icon
  • Instagram Social Icon